quinta-feira, 21 de março de 2013

NATÁLIA CORREIA

Mulher açoreana, pêlo na venta
poetisas como tu já não fazem
nem sei como a poesia aguenta
quando os melhores já jazem.

Guerreira de milhentas batalhas
foste mais audaz qu'os audazes
este país hoje está de cangalhas
nem sabes a falta que nos fazes.
 
Lutadora sem pápas na língua
p'ra casa não levavas desaforo
o nosso idioma anda à míngua
de nada serve o pranto e choro.
 
Tua voz de tom satírico, mordaz
nunca se deveria ter despedido
o pessoal anda em marcha-atrás
porque esta vida perdeu sentido.
 
Levaste as tuas armas contigo
quem te admira ficou indefeso
os políticos só olham o umbigo
e o povo, bem, esse anda teso.
 
Sem ti, Portugal não tem nexo
nunca antes tal por aqui se viu
o povo fodido tem menos sexo
e a taxa de natalidade diminuiu.

Este poema retirado do meu livro POETAS QUE SOU - Lua de Marfim - 2013

2 comentários:

  1. Amigo: Foi uma grande poetisa Gostei de ler este teu poema.
    Um abraço
    Santa Cruz

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grande como mulher e como talento.
      Forte abraço.

      Eliminar