quarta-feira, 1 de maio de 2013

NOÉMIA DE SOUSA


A tua poesia é uma senzala de poemas
onde soubeste expôr o sentir felino
da negritude Índica.
Os teus versos são escravos da verdade
que corrói a rubra seiva das savanas
em gritos de revolta.
Teu lúcido pensamento de pés descalços
continua progenitor dos trovadores
com memória de ti.
Tua brevíssima obra de pranto e lágrimas
deixa em nós o teu eterno respirar
Kanimambo poetisa.

Poema extraído do meu livro POETAS QUE SOU - Lua de Marfim - 2013

8 comentários:

  1. Um belo tributo a uma poetisa moçambicana e com ela o levantamento do ser dss terras do Índico´de onde eu tenhos relatos vivos.
    Apreciei- MANU.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria Beatriz! Uma poetisa cuja poesia apenas conheci em 2012 mas pela qual me encantei.
      Obrigado por mais esta visita comentada.

      Eliminar
  2. Caramba, muito bonito!! Que homenagem, hein?

    Abraço tupiniquim, meu amigo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grande Rafa!
      Obrigado pelas palavras.
      Abraço luso, amigo tupiniquim!

      Eliminar
  3. Belo poema homenageando uma poetisa que não conhecia.
    Abraço poeta amigo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carlos! Obrigado por mais esta visita.
      Abraço.

      Eliminar
  4. Uma bela forma de apresentar uma poetisa.
    Vou pesquisar sobre ela.
    Bela generosidade de sua sensibilidade.
    Abraços.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Toninho! Vale bem a pena conhecer o trabalho de Noémia de Sousa.
      Obrigado pela visita comentada.
      Abraço Luso.

      Eliminar