quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Sina de poeta (inédito)


Não sei o que a poesia me dará no futuro
comigo não trago a minha bola de cristal
apenas espero que seja algo bem especial
a ela dei tudo o que possuía, estou seguro.
 
Desconheço que mais lhe posso dar, juro
se existe, não dei por descuido acidental
e se ela, zangada, me quizer desejar mal
que me puna co'o castigo mais vil e duro.
 
Se assim pretender que me negue versos
sem eles nada do que escrevo faz sentido
e nenhuma outra punição fará mais mossa.
 
Co'as palavras descobri outros universos
na constelação poética me tenho mantido
acontece com todos os poetas, sina nossa.
 

4 comentários:

  1. Com os versos, as palavras e a poesia
    começou a nossa amizade.
    Felicidades poeta!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E manter-se-á por muitos e bons anos! Beijos.

      Eliminar
  2. "Co'as palavras descobri outros universos
    na constelação poética me tenho mantido
    acontece com todos os poetas, sina nossa."

    tão certo, meu amigo.

    um feliz ano novo pra ti. beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado poetisa! Um 2013 cheio de amor, paz, saúde e muita poesia! Beijos lusos!

      Eliminar