segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Gato escaldado

Gato escaldado de água fria tem medo
diz o provérbio deixado pelos anciãos
uma verdade sem mistério ou segredo
tão certa como o fogo queima as mãos

E se esse gato for humano com coração
outrora ferido por experiência do amor
a água fria será um sofrer em repetição
da qual sempre fugirá por sentir pavor

Se gato escaldado não quer sofrer mais
por ter cicatrizes qu'avivam a memória
eu digo: o gato e o humano serão iguais
por não quererem a repetição da história

Só mesmo um homem ferido por paixão
resiste a outro amor e fecha seu coração

23 comentários:

  1. Caro Manu;

    Tenho gostado do que já li.
    Este soneto está excelente.
    Gostei bastante.
    Vou, seguramente, continuar a lê-lo.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  2. Más experiências deixam sempre a sua marca, mas o amor deve merecer segunda oportunidade, mas bem ponderada, claro.

    Acho interessante como tu consegues sempre manter uma estrutura bastante regular nos teus poemas, tanto em rima como na métrica. Vejo-o tanto aqui no blog, como o vi no teu livro, em geral. Eu quando quero, lá faço um poema mais ou menos certinho, seja soneto ou noutro estilo mais conhecido, mas mesmo aí há sempre um verso que foge à métrica padrão ou uma rima que vai tentar a sorte a outro canto da estrofe. As minhas letras são vadias, mas as tuas encontram sempre o espaço próprio, seja qual for o texto.

    (Não vinha cá há muito tempo. Lembro-me do teu blog cultural pelo menos um par de vezes por mês, mas este perdeu-se na minha memória. Agora enfiei-o na minha lista de blogs (onde pensava que já estavas antes, mas não) para não ignorar isto de novo acidentalmente. Desculpa =P! )

    ResponderEliminar
  3. Meu querido Manu
    Lindo como sempre...desilusão tavez, mas segue em frente.

    Deixo um beijinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  4. rsrs Assino embaixo Manu.
    Oi amigo. Saudades suas.
    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Oi Manu,

    Concordo em termos. O amor é um sentimento que não se pode deixar de ser alimentado, jamais. Não importando-se quantas vezes seja ferido. A felicidade está nele...

    Beijos,

    ResponderEliminar
  6. Concordo contigo em ambas as partes do teu comentário. O amor é provavelmente o tema mais universal da literatura. E a literatura ideal é aquela que não sacrifica a compreensão pela suposta "perfeição". A arte perde valor quando não se deixa ser apreciada.

    ResponderEliminar
  7. Apesar de bem escaldada, não consigo dizer não ao amor...
    Escreves maravilhosamente Manu e encantas-me sempe com os teus poemas.
    Beijinho com amizade.

    ResponderEliminar
  8. mas só o homem sabe, que se fechar a porta aos sentimentos será para sempre infeliz, por isso com cuidado deverá deixar o sol entrar em sua vida
    Bj

    ResponderEliminar
  9. Olá Manu!
    Belo Soneto, com o gato escaldado, quem é que não tem mede, até eu que não sou gato, não gosto de água fria, se for de Inverno claro, de resto concordo com a Multiolhares, embora com algum cuidado deve ir abrindo a porta lentamento.

    abraço,
    José.

    ResponderEliminar
  10. Pois é! A memória guarda o que nós mandamos e depois quer mandar em nós.

    Um excelente trabalho!

    L.B.

    ResponderEliminar
  11. Olá Manu,
    E se fores abrindo uma janela lentamente?
    O amor passa por qualquer frincha...


    Bjs dos Alpes

    ResponderEliminar
  12. Olá...
    Hoje convidamos você para fazer uma profunda reflexão em nosso blog. Ao ler o texto da nossa amiga Déia e responder a pergunta final: “E para você? Sua vida tem raros momentos de recomeço? Ou você aproveita as rupturas e entra, quando necessário, em uma nova estrada?”
    Esperamos a sua participação.
    Receba o nosso abraço carinhoso

    ResponderEliminar
  13. Nada como um bom escaldão para enfrentarmos um nosso sol rsrsrsr

    Venham os miaus..... e os escaldão que a vida só vale a pena ser vivida se o for plenamente.

    ResponderEliminar
  14. Manu: Lindo soneto adorei esta muito bem escrito.
    Um abraço
    Santa Cruz

    ResponderEliminar
  15. Quando você não aparece
    o dia não acontece
    pássaros ficam mudos
    barcos se perdem,
    e as ondas vão para alto mar
    a procura do vento...

    £UNA

    Amor & Paz no seu dia!Beijos meus! M@ria

    ResponderEliminar
  16. Amigo Manu,
    Estive aproveitando uns dias de ferias de minha filhota e deixei o meu blog meio no piloto automatico e somente hoje estou podendo visitar aos amigos.
    Pouco a pouco estou colocando a leitura em dia, afinal sao duas semanas de atrasos (risos).
    Beijos, flores e muitos sorrisos!

    ResponderEliminar
  17. Manu... o amor é uma semente que brota dentro da gente e não morre jamais. Por mais que a gente jogue muita terra em cima dela, o raio de sol a alcança e um dia quando menos esperamos, ela volta a germinar.
    O terreno do coração é fértil demais!
    Um beijo carinhoso para você!

    ResponderEliminar
  18. ....

    «... Só mesmo um homem ferido por paixão
    resiste a outro amor e fecha seu coração»

    Amigo,

    Este excelente poema fecha com chave de ouro.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  19. Novamente aconchegando seus versos em meu coração...Beijos querido Manu.

    ResponderEliminar
  20. Recebi o Presente.
    Seu livro é maravilhoso. O títulos anjos eu li na festa de casamento de 50 anos de meus pais. Ficou super lindo.
    Amei. Muito obrigada.
    Carinhosamente,
    Sandra

    Parabéns pelo seu livro.
    Vou postar Na interação de amigos.
    Carinhsamente,
    Sandra

    ResponderEliminar
  21. JÁ POSTEI.
    http://sandrarandrade7.blogspot.com/
    AMEI O LIVRO. ESTOU LENDO.
    CARINHOSAMENTE,
    SANDRA

    ResponderEliminar
  22. Olá, Manu! :) Eu funciono muito mal com os blogs do Google, não há dúvida! :)) Estava a ver que não conseguia comentar... e não estou escaldada como o gato! :))Pelo menos não estou conscientemente escaldada, neste sentido...
    Um abraço GRANDE!

    ResponderEliminar